terça-feira, 29 de julho de 2008

Se eu pudesse...


Devolveria os momentos de arrogancia
espelho alheio

Devolveria os sorrisos amarelos
sentimentos inertes

Devolveria os nãos e os sins
invertidos

Devolveria a falta de tempo e o excesso de zelo
quanta bobagem!

Devolveria as horas extras no trabalho
fugas de vida

Devolveria o tolerar ou a obrigação de submeter-se
Devolveria as festas e homenagens politicamente necessárias
quanto tempo perdido

Devolveria o dinheiro gasto com futilidades
socialmente agradavel

Devolveria os livros não lidos
as canções não cantadas

Devolveria os momentos de tristeza ou irritação
como me faltava imaginação!

Devolveria os sapatos prada
porque a terra me irritava?

Devolveria as lágrimas inuteis
Os abraços de trezentos dolares

Devolveria as medalhas e diplomas
o piso esmaltado
besteira!

Devolveria a ti Dorian
teu espelho!

5 comentários:

Anne M. Moor disse...

Dorian Gray... E tu não serias quem és hoje...

Suzana disse...

Anne querida,

Por que há uma tendÊncia todos acharem que os textos dos blogs são uma "espécie de diário"?
Quanto ao texto,acima, eu concordo com vocÊ, somos o somatório de nossos dias.

bjs

Flavio Ferrari disse...

Padeço da mesma interpretação equivocada: inspiração x experiência...
E eu prefiro devolver as coisas boas ...

O Profeta disse...

Se...é algo que não deve existir no nosso querer...


Doce beijo

Érica disse...

Ráaaa! Tenho procurado por Oscar Wilde! Mas a resposta do Flávio caiu muito melhor...

PS: Talvez, ao invés de devolver, seria melhor nem obter... Mas controlar-se como?