terça-feira, 20 de abril de 2010

Hoje



Somente hoje,
sairei assim
alegre, como todos esperam
sorridente
como desejado

Somemente hoje,
atenderei a todos os pedidos
sorrirei
como se a vida fosse integralmente perfeita,
as pessoas verdadeiras,

Somente hoje
não serei ninguém

7 comentários:

Anne disse...

Tu jamais serás ninguém!!! As máscaras são uma versão de nós...

Bjos
Anne

Suzana disse...

Acreditada mesmo nisso?
bjs

A.S. disse...

Suzana,

Se a vida não rima porque havia de rimar a poesia? :))

Beijos
AL

Carlos Eduardo Leal disse...

"Somente hoje
não serei ninguém", mas sua poesia te retira da sua invisibilidade e te dá corpo, corpo das palavras para que possas continuar 'sem métrica', mas com muita vida em todos os teus "hojes",
abraços,
Carlos Eduardo
veredaspulsionais.blogspot.com

Suzana disse...

A.S. essa é graça da vida, procuramos rimas !
Obrigada pela visita.

Suzana disse...

Carlos!
Quanta honra para uma pobre marquesa!
Por vezes temos muitos hojes em uma única vida,e continuamos sem Métrica.
Que legal!Volte sempre!

Maria Regina disse...

Obrigada pela visita e pelo carinho.
Somos todos e não somos nenhum...
Um abraço