quarta-feira, 18 de março de 2009

Concessão

Quando o poeta permite que as palavras possam fluir
Assim, do nada
Ele sabe o que está dizendo
Quando o poeta permite a construção lúdica do amor
Assim, do nada
Ele sabe porque esta sentindo
Quando o poeta permite a sequência sem rima
Ele certamente espera uma emoção
Quando o poeta nos chama
Ele certamente deseja nossa atenção
Para versos reversos
Rimas no ritmo do coração
Métricas no pulsar da paixão
Quando o poeta permite a leitura do seu eu poético
Entrega-se ao não poder
Viver o que deseja no seu íntimo
Quando o poeta relê seus versos
Vive novamente o não vivido
Beija lentamente os lábios da amada
Entrelaça seus braços ao dela
Fita-a com ternura e diz:
- Amor... nunca rimará com dor

2 comentários:

Anne M. Moor disse...

Linnnnnnnnnnnnnnndo! Gostei especialmente de:
"Para versos reversos
Rimas no ritmo do coração
Métricas no pulsar da paixão"

Fantástico...

Beijos

Suzana disse...

Elogio de amiga não vale!
bjs